Avaliação Psicodiagnóstica

Consultas diagnósticas

Em nossas avaliações psicodiagnósticas a escuta psicanalítica tem a forma do agir em conjunto: brincamos, conversamos, ou tão somente estamos ali intervindo no sentido de favorecer o surgimento do que existe de potencial e de possibilidades, tanto na criança como em seu núcleo familiar, para além da sintomatologia e das queixas por eles apresentadas.

Entendemos que as crianças encontram-se em pleno processo de constituição em todos os aspectos do desenvolvimento, o que torna qualquer psicodiagnóstico, provisório e mutável. Mesmo aquelas que trazem consigo marcas de síndromes neurológicas, genéticas ou de transtornos psíquicos, continuam a ser indivíduos humanos singulares em seu modo de ser e devem ter a oportunidade de, em liberdade, desenvolverem seu potencial humano. Assim, em vez de uma observação que se pretende distante, imparcial e asséptica com o objetivo de elencar os sintomas da criança e enquadrá-la num diagnóstico que as rotula reduzindo-as, inevitavelmente, a portadores de transtornos e síndromes, com comportamentos e desenvolvimentos previsíveis e imutáveis, deixamo-nos surpreender e valorizamos justamente o que de singular, de particular na forma de ser da criança, em sua contingência de vida, emerge desse encontro.

Apostando na plasticidade e provisoriedade dos sintomas das crianças as consultas diagnósticas tornam-se, sobretudo, uma experiência compartilhada, que enquanto tal, produz efeitos terapêuticos e já introduz mudanças no modo de entender e enfrentar as dificuldades vividas, tanto pelas crianças, quanto por seus pais. Essas consultas possibilitam ainda a construção conjunta das estratégias de ajuda necessária e possível para cada um. Quando necessário, são introduzidos, nesse processo, testes psicológicos, além de avaliações complementares, sejam elas psiquiátrica, neurológica, sensório-motora ou fonoaudiológica, todas atravessadas pelos princípios que nos norteiam.

Testes psicológicos

Os testes psicológicos são instrumentos de uso exclusivo do psicólogo e podem ser utilizados como ferramenta importante na construção de um psicodiagnóstico diferencial. A utilização de testes na avaliação das diversas características das crianças e adolescentes - tais como aprendizagem, percepção de si e do meio ambiente, maturidade psicológica entre outras - está inserida num processo que leva em consideração a história e o contexto de vida de cada pessoa, e só assim os resultados obtidos a partir deles podem contribuir para o entendimento sobre o sofrimento psíquico de cada indivíduo.

Todos os testes utilizados pela equipe do CPPL estão devidamente aprovados e certificados junto ao Conselho Federal de Psicologia. Abaixo, alguns testes utilizados pela equipe:

Raven – Escala Geral e Escala Especial Bender Colúmbia